Sobre minhas paranoias

Não chega assim, fazendo tanta questão de mim, fazendo acontecer. Ainda carrego na mala o peso de projetos e histórias fracassadas. E minha dificuldade em tomar decisões definitivas é culpa dessa minha escravidão. Estou acostumada a sofrer, talvez por isso, eu seja tão compreensiva com minhas próprias dores e tentativas frustradas de amor. Talvez eu realmente fique assustada com tudo que me faz bem.

Não chega assim não, segurando minha mão e arrancando sorrisos tímidos de mim. É normal, eu sempre ando cheia de palavras, mas quando você me olha desse jeito, todas desaparecem. Por isso, não faz assim, não corta essas minhas paranoias.

Stephane Paula

Publicado por

Stephane Paula

Oi, sou a Stephane Paula, jornalista. Nasci em Brasília, em 1990 e moro na Noruega. Já trabalhei em redação de jornal e como assessora de imprensa em algumas agências de comunicação no Brasil. Tenho interesse em diferentes tipos de assuntos. Amo escrever e coleciono textos que fiz ainda na infância. Seja sobre a vida cotidiana, assuntos políticos, filosóficos ou científicos o meu objetivo é sempre o mesmo, e está atrelado à tentativa de olhar o mundo com mais profundidade. Sou apaixonada por livros, pessoas e céu cinzento. Queria ter a capacidade de falar todas as línguas do mundo. Sou quieta de vez em muito, acredito que a introspecção é a melhor ferramenta para refletir sobre a vida e à si próprio.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s