Todas as inquietações

E entre as vivências decorrentes dos amores noturnos, me encontro acorrentada aos dissabores das ilusões e inúmeras promessas vazias.

Não sou poeta, não me entenda errado. Sou apenas a criança de inocência roubada, que hoje vive aprisionada no corpo de uma mulher desencantada.

Não insista em ter meus beijos, eles não transmitem serenidade. Não tenho muito para lhe oferecer, apenas a beleza carnal, um corpo cru, desprovido de qualquer sentimento profundo e duradouro.

Em meio a essa crise existencial, gostaria de falar de amor com a propriedade de alguém que nunca o teve. Então não me julgue, nem me queira mal, pois já estou condenada a viver intensamente o meu próprio purgatório.

Stephane Paula

Publicado por

Stephane Paula

Oi, sou a Stephane Paula, jornalista. Nasci em Brasília, em 1990 e moro na Noruega. Já trabalhei em redação de jornal e como assessora de imprensa em algumas agências de comunicação no Brasil. Tenho interesse em diferentes tipos de assuntos. Amo escrever e coleciono textos que fiz ainda na infância. Seja sobre a vida cotidiana, assuntos políticos, filosóficos ou científicos o meu objetivo é sempre o mesmo, e está atrelado à tentativa de olhar o mundo com mais profundidade. Sou apaixonada por livros, pessoas e céu cinzento. Queria ter a capacidade de falar todas as línguas do mundo. Sou quieta de vez em muito, acredito que a introspecção é a melhor ferramenta para refletir sobre a vida e à si próprio.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s